A certificação CFA (Chartered Financial Analyst) – que em uma tradução livre, significaria algo como Analista Financeiro Certificado – é uma das mais respeitadas e reconhecidas certificações financeiras do mundo, sendo vista por muitos, inclusive, como uma pós-graduação na área financeira. Em uma reportagem do Infomoney, o presidente da CFA Society Brazil  a chama de “padrão-ouro das certificações”.

A certificação do profissional é feita pelo CFA Institute, que se auto-intitula como “uma comunidade global de profissionais de investimento, trabalhando para construir uma indústria de investimentos onde os interesses do investidor vem na frente, o mercado financeiro funciona com eficiência, e economias avançam”.

Mas qual o motivo de todo este reconhecimento?

O programa desta certificação cobre conceitos avançados de análise de investimentos e administração de portfólios. A prova exige que o candidato realmente tenha conhecimentos aprofundados de diversos tópicos que vão desde economia, risco, métodos quantitativos até ética. A certificação CFA, de uma certa forma, garante que o profissional realmente tem amplo conhecimento sobre o mercado financeiro. Por isso, o reconhecimento tanto pelo mercado quanto pelos empregadores àqueles aprovados.

Outro detalhe importante é que a certificação possui um padrão internacional: a prova é a mesma no mundo inteiro e aplicada quase que ao mesmo tempo em todos os países, fazendo com que todos os profissionais certificados no mundo inteiro estejam nivelados, independente da formação ou faculdade que cursou. Isso abre portas para quem busca posições no mercado financeiro na Europa ou nos EUA.

E qual o conteúdo programático? Como é a prova?

Como escrevi antes, a certificação CFA abrange uma ampla gama de conhecimentos da área financeira. A prova é dividida em três níveis: Level I, II e III. O profissional só recebe a certificação se for aprovado nas 3, não existe certificação ou diploma intermediário.

Segundo o programa divulgado pelo CFA Institute, no Level I o foco é a compreensão dos conceitos e ferramentas de finanças. Nesta fase são 250 questões de múltipla escolha em seis horas.

Já no Level II, é cobrada precificação de ativos financeiros. São 120 questões também objetivas, mas divididas em manhã e tarde, com apresentação de casos para análise.

E, o Level III, que se divide em questões objetivas e discursivas com seis horas de duração, apresenta questões de gestão de portfólio de clientes.

O conteúdo programático se divide em 10 tópicos gerais, a seguir:

cfa_curriculum

Todas as provas são em inglês, e ao se inscrever, o candidato recebe o material para estudo por sua conta. Eu li em algumas fontes que são enviados uns 8 livros para cada nível, mas não sei se ainda continua este procedimento, ou se o material é online. São recomendadas, pelo menos, 300 horas de estudo para cada nível, que pode se traduzir em 4 meses de preparação intensa ou pouco mas de 6 meses estudando 6 dias por semana, 2 horas por dia.

O nível de aprovação é muito baixo: entre 10% e 20% (dependendo da fonte) dos candidatos que fazem a prova são aprovados, e a média para se conseguir a certificação é de 4 anos. O maior problema da prova, segundo o que li, não é tanto o nível de dificuldade, mas o volume de conteúdo.

O custo médio de cada etapa é salgado, cerca de U$ 1.000.

Quais os requisitos para obter a certificação?

Aqui encontrei divergências. A maioria das fontes diz que são necessários aprovação nas 3 etapas da prova de certificação, e possuir pelo menos 4 anos de experiência no mercado financeiro, para o profissional conseguir a CFA.

Porém, naquele arquivo que compartilhei acima do CFA Institute, esta o seguinte:

cfa_earn_the_charter

Eu entendi que, para se candidatar, é necessário: ser graduado (em qualquer área) ou no ano final para se formar,  OU ter quatro anos de experiência profissional; OU experiência profissional e estudantil que somem quatro anos. E, depois de aprovado, ter quatro anos de experiência profissional, especificamente com decisões de investimento, podendo ter sido antes, durante ou após a aprovação.

Conclusões

Apesar do custo elevado, a certificação CFA com certeza vale cada segundo do tempo e cada centavo investido. Além do reconhecimento profissional, você será levado e cobrado ao limite em relação ao seu conhecimento financeiro. Muitos consideram esta certificação ainda mais importante do que um MBA, para quem trabalha na área.

E, ainda, segundo o site do CFA Institute, são aproximadamente 135.000 certificados no mundo, um número ainda pequeno se comparado com outras certificações, o que traz maior valor pela escassez de profissionais, e maiores oportunidades.

 

Fontes:

Site do CFA Institute

Reportagem Infomoney – CFA: certificado “padrão-ouro” no mercado financeiro; veja como funciona – acessado em 10/09/2016

Artigo do site Bússola do Investidor – Certificação CFA: O Que É e Como Estudar Para Passar na Prova – acessado em 10/09/2016

Mais Informações:

CFA Society Brazil

Curso preparatório da FK Partners

Anúncios